Cidade - Poema

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Cidade - Poema

Mensagem por Convidad em Sex Abr 08, 2011 7:22 pm

Uma luz insuportavel me cerca
São luzes de predios, carros, semaforos...
É uma cidade
Ela é gigante
Ela me sufoca
Ela me cega
Estou me acostumando a ela
Agora posso enxergar melhor
Agora posso ver o que acontece em volta de mim
Tudo automatico
Tudo igual
Isso me aflinge
Não posso mais aguentar
Vou para um lugar menos movimentado
Com menas pessoas
Com poucos carros
E quem sabe menos luz?
Consigo meu desejo
Mas ele vem distorcido
A igualidade sumiu
Ela foi tomada por uma pobreza estranha
Por uma feiura
Por uma miseria
As pessoas aqui são feias
Os carros são antigos
Mas ainda assim é automatico
Ainda assim é horrivel
Sinto me pior
Corro
Fujo
Grito
Ainda assim tudo fica pior
A pobreza sai
A feiura sai
Mas volta a automacidade
Volta as luzes cegantes
Volta o sentimento de solidão
As construção se tornam cada vez mais altas
Cada vez mais feias
Cada vez mais iguais
Cada vez mais aflitivo
Em uma há uma porta aberta
Entro
As luzes são cegantes
As pessoas roboticas
Tem uma escada
Subo por ela
Ela é longa
Não tem ninguem
Continuo subindo
As luzes diminuem
A subida se torna cada vez mais dificil
As luzes se estabilizam
A subida continua
Faz tanto tempo que estou subindo que esqueci a aflição da rua
Esqueci da cidade
Agora desejo ela
Minhas pernas doem
Continuo subindo
Cheguei ao final da escada
Há uma porta
Abro ela
Uma luz me cega
Estou no topo do predio
Há mais uma pessoa la
Ela fica encarando céu
Até que me percebe
Ele me olha com melancolia
Diz apenas:
“Isso deixou de ser humanidade há tempos
Os humanos que sobraram podem apenas fugir
Pois os querem mortos
Podemos apenas fugir
Tu estas liberto
Vamos foge comigo”
Caminho para o lado dele
Há uma vidraça nos seprando do imenso vazio entre os predios
Subimos nela
Pulamos
No caminho para o chão encontramos outro
Agora estamos no chão
Agora não existimos mais
As maquinas se horrorizam
Mas logo continuam com seu trajeto
Elas nos chamam de loucos
Agora estamos libertos
Agora fugimos deles
Agora sou feliz

Spoiler:
Para ler no meu blog(propaganda merecida e escondida no spoiler): http://rosaassassina.blogspot.com/

Critiquem, corrijam algum erro de português gritante, e façam sugestões de temas, imagens, assunto musicas relacionados, sei la.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade - Poema

Mensagem por Yato em Sab Abr 09, 2011 7:32 pm

Sem querer ser chato... mas não entendi nada http://www.anikaos.c
avatar
Yato
Otaku Noob
Otaku Noob

Alerta :
0 / 1000 / 100

Masculino Mensagens : 729
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade - Poema

Mensagem por Convidad em Sab Abr 09, 2011 7:38 pm

NAh, tudo bem, ao menos comentou.
Quer que eu te explique?

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade - Poema

Mensagem por Yato em Sab Abr 09, 2011 7:43 pm

Vai, explica http://www.anikaos.c

Tô curioso
avatar
Yato
Otaku Noob
Otaku Noob

Alerta :
0 / 1000 / 100

Masculino Mensagens : 729
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade - Poema

Mensagem por Convidad em Sab Abr 09, 2011 7:50 pm

Bom, então vai:

Primeiro: Acordei no meio de uma cidade, ela esta tão bem iluminada que me cega, isso da uma overdose de sentidos na minha pessoa, alem disso todo mundo parece um bando de robos, eu fujo dali, encontro uma parte decadente da cidade, ela muito feia e tão robotica quanto, isso me deixa ainda pior, dae então volto para a parte da overdose de sentidos, mas começo a reparar nas construções, e como elas ficam cada vez mais altas. Uma delas, que é muito alta, esta com a porta aberta, subo pelas escadas até o topo do predio, encontro outra pessoa e cometo suicidio. Isso é da historia do poema. Tambem da para notar um repudio a sociedade em que todos são iguais, e que as cidades estão ficando grande demais, e que o ser humano deixou de ser humano.

Em base é isso, meio confuso não?

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade - Poema

Mensagem por Yato em Sab Abr 09, 2011 7:53 pm

Gremista za escreveu:Bom, então vai:

Primeiro: Acordei no meio de uma cidade, ela esta tão bem iluminada que me cega, isso da uma overdose de sentidos na minha pessoa, alem disso todo mundo parece um bando de robos, eu fujo dali, encontro uma parte decadente da cidade, ela muito feia e tão robotica quanto, isso me deixa ainda pior, dae então volto para a parte da overdose de sentidos, mas começo a reparar nas construções, e como elas ficam cada vez mais altas. Uma delas, que é muito alta, esta com a porta aberta, subo pelas escadas até o topo do predio, encontro outra pessoa e cometo suicidio. Isso é da historia do poema. Tambem da para notar um repudio a sociedade em que todos são iguais, e que as cidades estão ficando grande demais, e que o ser humano deixou de ser humano.

Em base é isso, meio confuso não?

Sim, muito interessante. Achei legal a parte da comparação com robos (lembrei agora da aula de sociologia).

Agora está mais claro seu poema. Parabens
avatar
Yato
Otaku Noob
Otaku Noob

Alerta :
0 / 1000 / 100

Masculino Mensagens : 729
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade - Poema

Mensagem por Convidad em Sab Abr 09, 2011 7:56 pm

Obrigado.
Tem aula de sociologia? Legal, eu adoro essa aula, pena que não dão tanta atenção aqui no Brasil pela materia.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade - Poema

Mensagem por Yato em Sab Abr 09, 2011 7:59 pm

Além das materias basicas, tenho aula de sociologia e empreendedorismo.
avatar
Yato
Otaku Noob
Otaku Noob

Alerta :
0 / 1000 / 100

Masculino Mensagens : 729
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade - Poema

Mensagem por Convidad em Sab Abr 09, 2011 8:20 pm

Empreendorismo?
WOW!
Como é isso?

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade - Poema

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum